8 de dez de 2013

A Mansão - Contos do Shiro

Yoo' Mina-san, Eu aqui \õ/ 



Aloha cachicolzinhos, Eu aqui nessa manhã com sol porém gelada, trazendo um conto meu. Sim pra você que não sabe, Esse vai ser meu segundo conto o meu primeiro foi O Mistério do Trem. E dessa vez estou trazendo A Mansão. Bom eu costumo fazer esses contos de acordo com meus pesadelos, se for um legal eu conto. Ou até os sonhos as vezes, já que diferente de muitos eu nunca esqueço o meus. Agora sem muito a falar, vamos ao conto pois esse e muito grande, a historia de três amigos, o decidido, a corajosa é o medroso. 

Olá diário, ou seja lá o que você é, estou aqui de novo... Não conseguir encontra ainda uma saída, acho que estou ficando louco. Já faz quanto tempo mesmo que estou aqui?. Uma semana ou més. Tudo foi tão rápidos, todos morreram tão rápido, mas estou conseguindo me lembra agora. Estava eu, May é Tk na portão dessa mansão, eu cansei de dizer que não era pra entramos. Que eu sentia alguma coisa ruim, porém não adiantou, eles riram de mim... Então o que eu fiz? Preferir entra. Assim que passamos do porta da mansão, ela se fechou, nesse momento eu já estava tremendo de medo. Já aqueles dois idiotas que pelos olhos já dava pra ver a Excitação e a vontade de continuar. A casa era gigantes, realmente uma mansão, uma escada enorme que levava pro segundo andar, a nossa direita era uma biblioteca e a outra um sala de esta. Por trás da escada tinha duas portas, uma na esquerda e outra na direita, um levava pra cozinha e outra pra sala de jantar. Nesse momento todos rimos, pois era uma mansão muito mal feita. Foi os últimos risos daquela noite. Caminhávamos pela casa e começamos a ouvir barulhos. De uma criança rindo, de uma mulher chorando e um gemido irritante. Decidimos checar todas as salas do segundo andar, porta por porta. Quando entramos o quarto estava todo escuro não dava pra se ver quase nada, porém o Tk como curioso de sempre decidiu ir mais fundo no quarto, enquanto ele caminhava, dava pra se ouvir o barulho de madeira podre, eu tentei uma, duas até três vezes falar ele volta, porém nada adiantou. Depois de um tempo a voz dele sumiu só deu pra ouvir um barulho de água borbulhando, e depois eu ouvi a alguma coisa rolando ate meus pés. Era uma cabeça. Sem pensar duas vezes eu sair do quarto correndo e gritando. Eu sei que fui idiota por deixa a May sozinha. Porém isso era muito pra mim. Uns dois minutos depois eu ouvir os dois rindo da minha cara, eu sentir tanta raiva, porém não tinha coragem de andar sozinho. Depois de alguns minutos indo de quarto por quarto, até que um deles tinha a mesma aparência do outro, Tk outra vez decidiu ir sozinho... Porém ele não voltou, quando eu e May ficamos mais preocupados, eu já estava porém fiquei muito mais sabe. com a luz que saia dos nossos celulares entramos devagar no quarto e a cena foi... horrível. O Tk estava pendurado pela pescoço em uma corda cheio de espinho com a camisa rasgada e escrito com sangue na barriga dele "Bem Vindos" Eu estava em choque até que sentir uma mão gelada pegando meu braço e me puxando. a May estava chorando e nervoso me puxou do quarto corremos até a o primeiro andar, porém no lugar da porta tinha uma parede. Impossível, não poderia existir uma parede ali. Olhamos um pro outro e quando ela ia dizer alguma coisa ouvimos um barulho na escada de sapatos descendo. Viramos rápido e o que podia se ver era uma criança. Com a cabeça do Tk na mão sorrindo. A May não aguentou e desmaiou. Sentir inveja dela. Eu corria até a cozinha era o mais próximo de onde eu estava, deitei a May na mesa e tranquei a porta da cozinha. Peguei uma faca e fiquei esperando o pior. Por 5 minutos nada aconteceu, é eu estava morrendo de fome, decidir procura comida, por mais irônico que seja, eu vasculhei todos os cantos e em um dos armários encontrei um papel que estava escrito "Se você também está aqui, já percebeu que essa mansão não e muito segura. Porém eu conseguir fugir, mas antes escrevi um pequeno guia de como sair. São três fantasma que abitão esse local. A criança, A Mulher é o Espelho, a criança tem uma fraqueza que e o ursinho dela, mostre pra ela que você conseguir um tempo, posso descrever como 40 minutos até que ela volte atras de você, a Mulher, fale o nome do Marido dela, o Thiago , e ela ira sumir por mais ou menos 1:20. O espelho tire uma foto frente dele... Você não tem muito tempo né. então corra". Ao ouvir aquilo peguei meu celular percebi que estava com a bateria em 22%. Guardei ele no bolso, e fui acorda a May. Depois de acordada expliquei o que tinha lido, ela se levantou e pegou uma faca com um sorriso estranho, quando ia falar percebi ela correndo até mim e desferindo uma facada na minha barriga, eu cair ajoelhado é pude ouvir a voz dizendo "Sua amiga, aquela ali que você esta a procura?" Apontou o dedo ao chão onde se via uma poça enorme de sangue e no meio dela a May  com um corte na garganta morta... Eu levantei com a mão na barriga, ela contava olhando pra mim, debochando da minha cara dizendo que eu iria morre. Até eu pude percebe que ela era a Mulher da carta então eu disse "Como vai o Thiago?" Ela derrubou a faca no chão e se ajoelhou dizendo "Thi..a..go" Logo a pós dizer isso surgiu uma luz branca e ela desapareceu. Peguei a faca que estava com ela, dei um chute abrindo a porta da cozinha e sair em busca do urso da criança, já imaginava que estava no quarto dele. Então corri até a escada e logo apos subir vi ele. Peguei a faca e joguei em direção a ele, correndo ao lado contrario, sabia que a faca não iria acerta-lo porém teria alguns segundo. Me joguei no quarto dele, onde tinha um carrinho na porta. é vi o urso em cima da cama, logo apos pegar o urso senti um cala frio que me gelou por todo o corpo, me virei e vi ele na porta. Então fui até ele, mesmo sabendo que poderia ser um suicido. Me ajoelhei é quando ele iria  me atacar com a faca mostrei o urso pra ele. Ele largou a faca e pulou pegando o urso de uma maneira que nem a minha presença ele sentia. Então sair do quarto e fui até o ultimo quarto, que tinha sido o primeiro que a gente tinha entrado onde eu tinha me lembrado de ver um espelho. Ao entra no quarto. tudo estava claro, a mansão toda escura, porém o quarto bastante iluminado, e no centro estava um espelho enorme. Peguei meu celular e olhei pro espelho com um sorriso de despreocupação, é logo fui tira a foto. Segundo apos eu tira, ouvir um barulho de porta abrindo. Eu sabia que era a porta principal, pois tinha o mesmo som. Mas eu não conseguia me mexer. Minha perna estava presa, e de tanto eu me sacudir pra solta eu sentir meu corpo indo em direção ao espelho, e segundo depois ele entrando no espelho até que eu aparecer no mesmo quarto, porém esse estava todo sujo de sangue. e tinha uma cama, com uma carta em cima. dizendo "Criança tola, lembra quando eu disse pra tira uma foto na frente dele? Quando foi que eu disse uma foto sua..." Depois que li aquilo eu fiquei tremulo e nervoso. Olhei novamente pro espelho e vi o quarto iluminado, é minha imagem olhando pra mim sorrindo e acenando, depois virou de costas e bateu a porta do quarto. Eu empurrei o espelho e fui correndo até a porta daquele quarto com sangue, e ao abrir, eu vi toda aquela mansão e no lugar da porta uma parede como antes, porém a mansão não era a mesma, estava toda suja de sangue. Ao procura sair, encontra varias cartas, dizendo que a Criança e a Mulher também foram vitimas do mesmo acontecimento que teve, e que todas as vezes que eles tentavam falar com os outros davam a impressão que queria matar eles ou que eram fantasmas. Desde então eu nunca mais conseguir sair daqui. Nem consigo diferencia se e uma semana ou um més. Já entrou uma mulher aqui, fez o mesmo que eu, porém tirou a foto com só o braço apontando o celular pro espelho. é conseguiu fugir. Menos eu... Estou agora confinado nesse mundo pra sempre... Se ao menos eu tivesse convencido o Tk e a May eles estariam vivos... Que idiota eu sou... Bom diário não irei continuar, vou novamente tenta achar uma saia... Até mais...

Obrigado por está no meu blog.
É pra você que esta lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Shiro :3

0 comentários:

Postar um comentário