18 de jan de 2017

Críticas do Cachecol - Cidade dos Etéreos



Aloha Família. Cachecol aqui nesta manhã já ensolarada e já muito abafada, trazendo hoje mais uma postagem para o blog. Hoje meus amigos iremos conversa sobre o livro Cidade dos Etéreos segundo livro da trilogia O Orfanato da Srta Peregrine. Minha analise/crítica/resenha/algo da minha cabeça. 


Cidade dos Etéreos é o segundo livro da saga Crianças Peculiares do escritor Ransom Riggs, que mais uma vez me surpreendeu com tudo que acontecer, bem o livro Cidade dos Etéreos vem sendo uma continuação direta do fim do primeiro livro O Orfanato da Srta Peregrine nele temos o nosso protagonista Jacob junto de todas as outras crianças viajando nas fendas por toda a Londres atrás de uma cura para a diretoria Peregrine que se transformou em ave e não consegue voltar a forma humana, ao longo dessa busca novos personagens muitos novos personagens aparecem, alguns acabam entrando para "equipe" do Jacob outros só ficam ajudam e depois desaparecem mesmo eu ainda achando que talvez voltem aparecer novamente no terceiro livro. 

Vamos falar dos pontos positivos do livro, muita gente reclamou que no primeiro livro não teve momentos de ação, lutas ou coisas do gênero, e de fato é verdade no primeiro livro temos um enredo bem devagar para explicar todo o ambiente e uma enorme e longa apresentação do universo, eu particularmente gostei muito disso, pois agora no segundo livro aconteceu o que todos queriam, quase todos os capítulos ou ao menos todos os capítulos tiveram brigas e lutas, momentos tristes e que você ficava assustado, e não é por menos porque parando pra ver o primeiro livro foi totalmente dentro da ilha, já esse segundo eles estão andando por lugares que jamais pisaram, tudo ali é novo e como estão no meio da segunda guerra mundial qualquer esquina errada eles podem morrer e isso fica claro no livro, tem horas que você acaba sentindo pena dos personagens por sofrerem tanto, quando acabou esse segundo livro eu fiquei tentando entender o motivo deles terem comido o pão que o diabo amassou, sério eles passaram pelo inferno de tanta coisa que aconteceu. Além desse lado que todos queriam de brigas e confusões, outra coisa que muita gente tinha reclamado e foi muito bem explorado foi o carisma dos personagens, uma das coisas que eu mais defendi no primeiro livro é de que eles viviam em uma ilha convivendo por anos com as mesmas pessoas, não tem como criar um ambiente tão agradável e de amor mutuo assim, não tinha como criar uma fantasia tão incrível deles sempre estarem sorrindo e com o carisma nas alturas, no entanto nesse segundo livro podemos percebe essa mudança, quem amava a Olive antes agora ama muito mais, quem odiava o Enoch vai saber deus o motivo odiou muito mais, porque foi muito bem explorado pelo autor isso esses pontos fortes de cada personagem.

Falando dos personagens agora, bem Jacob pra variar me deixando meio irritado, ele teve uma evolução gigantesca e calou a boca de muita gente inclusive eu porém tem alguns pontos que ainda me deixou meio irritado, toda momento de confusão, correria ou toda vez que ele passava por uma fenda temporal ele sempre tocava no celular em seu bolso para ter noção de que aquilo tudo era real, é algo meio aceitável certas horas, mas a forma que é explicado faz parecer que ele está ali mas não quer estar, como se tivesse sido um erro ele ter largado aquela vida "maravilhosa" que ele tinha, bem é uma analise minha sobre esse momento creio que não seja de fato isso e só seja algo que demonstra o nível de humano do personagem, no entanto eu acho meio desnecessário isso. Temos a Emma que mais uma vez me provou ser uma ótima líder, no primeiro livro temos ela meio que comandando a casa junto da diretora e eu percebi o motivo disso no segundo livro, todos sempre recorrem a ela em um momento de decisão, pra eles o que ela decidir vai ser o certo a se seguir e isso é incrível eles dependerem tanto assim dela, e o mais incrível ainda é o fato de que o Jacob não a trata assim fazendo ela depender do Jacob, toda vez que está confusa e triste ela recorre a ele fazendo assim um ciclo certinho a ser seguido. Temos também o Enoch mais uma vez sendo o cara que eu me apaixonei, a personalidade dele pra variar sendo incrível e contagiante, ele é o cara realista do grupo e o piadista de desastre também, se provou ser um alguém indispensável porque muitos também recorrem a ele em momentos de decisão. São muitos personagens que tiveram uma evolução gigantesca, o Horace mostrando ser o humanitário do grupo o único ali que demostra sentir medo de cada coisa, temos a Olive que quase não pareceu no primeiro livro e nesse teve uma importância enorme por ser a chorosa do grupo a criança em si ali no monte de velhos, são muitos personagens que tiveram seus momentos. 

Tudo que é bom tem seu lado ruim, no livro alguns pontos negativos foram jogados na minha cara, por mais que na narrativa tenha sido boa, eu achei que o enrendo ficou meio pesado sabe, pelas crianças terem saído da ilha, elas conheceram um mundo totalmente diferente e nisso que o enrendo meio vacilou, foi muita carga emocional sendo jogada que na hora simplesmente era esquecida ai toda vez que o Enoch vinha e soltava uma piada, ai vinha a Emma e brigava com ele e pronto outra cena ou outro acontecimento era formado, se parar pra ver isso acontece várias vezes Enoch com piada e Emma brigando com ele. No demais o livro não teve pontos negativos ele sem sombra de dúvidas foi bem melhor que o primeiro, principalmente o ultimo capítulo que teve um gancho inacreditável para próxima história, já no primeiro livro o final fica aberto e você fica perdido, por isso que o enrendo ficou meio perdido porque o começo estava sem um ponto inicial e isso para uma continuação direta é meio difícil de entender logo de cara. Eu peguei rápido porque eu terminei de ler um livro e já fui pra outro, agora imagina quem teve que esperar o lançamento? Eu não coloco bem como ponto negativo, e sim só uma observação, como falei antes muita gente tinha reclamado que não teve quase nenhuma luta só ficou naquele ambiente massante no primeiro livro, agora nesse segundo eu acho que teve luta até demais, meio que o escritor falou "Vocês não queriam? Agora toma!" achei meio exagerado, porém aceitei tudo porque todas as lutas tinham seus motivos pra acontecer, meio exagerado mas teve motivo.

Mais uma vez a narrativa desse livro mostrando o quão incrível esse mundo é, assim como no primeiro livro a narrativa salvou muitos momentos que o enrendo estragava, o que eu mais gostei nessa história é que mesmo desde o primeiro capítulo várias lutas e momentos tensos acontecendo muita coisa ocorria no meio disso, o grupo de Jacob sempre estava entrando em uma briga e nessas horas que você consegue ver o quão inteligente eles são, que mesmo sendo crianças eles tem um objetivo e uma maneira inteligente de se resolver nisso, eles querem salvar sua diretora mas não vão se matar por isso, o Jacob ainda claramente estava perdido a Emma toda hora conversando e agradecendo pela escolha dele porque ela sabia que mesmo ele não dependendo dela como todos ali depende ele ainda estava meio perdido em tanta coisa que ocorria. A narrativa do livro de prende nesse tipo de momento, se você não gostar das lutas muitas outras coisas irão te agradar para compensar, e foi o que aconteceu comigo eu não gosto de brigas e lutas porque quase sempre é algo que você já sabe o final, o forte vai ganhar, mas se por algum motivo louco o fraco ganhar você fica pensando "nossa... foi clichê" então lutas ao meu ver nem sem são necessárias a não ser que alguém morra porque ai toda a história sofre uma mudança, e foi bem o que aconteceu nessa história que coitada teve várias mudanças toda hora eu tive que ler bem mais devagar que o normal para entender tudinho que estava acontecendo. 

Algo que me deixou maravilhado com tudo isso é como o Jacob evolui, eu comentei antes mas irei me aprofundar agora nisso, todos os personagens da história já são evoluídos a única diferença é que eles nunca tinha viajado pelo mundo e por isso que todas suas reações com as coisas fora da ilha era interessante, agora o Jacob não ele mesmo sendo o mais novo ali era o que mais tinha "experiência" com algumas coisas no mundo, e a forma que ele começa a interagir e pensar deixa você animado, no começo até o meado do primeiro livro ele de fato era um bocó, já agora nessa história ele se torna alguém mais sério e centrado só que ainda tinha algo que prendia ele a sua família, seu passado você consegue percebe isso em seus sonhos, ele sempre fica imaginando coisas e isso interfere muito nas suas decisões, no entanto no final desse livro no começo do último capítulo ele toma uma decisão que eu e muitos outros fãs creio eu odiaram porque não é algo que queríamos conhecendo a família que ele tem, mas nas duas ultimas páginas ele muda completamente não só a decisão fazendo assim eu pular de alegria, mas sim seu jeito de pensar, só bastou uma pessoa falar com ele e cara foi totalmente água pro vinho sua mudança é clichê? Sim mas o autor usou no momento exato, foi até hoje na minha vida o melhor gancho para próxima história que já vi. Não só a mudança de personalidade como de pensamento, mas sim os poderes dele, antes você assim como eu achou que ele só poderia enxergar e sentir os etéreos certo? Então tem mais coisa ai... Esse novo poder do Jacob é algo muito intrigante que eu ainda estou tentando distinguir entre Deus Ex-Machina ou Plot twist. 

Assim como também o novo vilão que surgiu que eu ainda estou nessa de plot twist ou só aconteceu mesmo, o primeiro vilão do livro não é lá essas coisas toda, eu não fui muito com a cara dele porque ele tem um motivo para fazer o que estava fazendo, mas ao mesmo tempo ele ficou muito nada a ver com a história. Já esse segundo vilão que é apresentado no final desse livro é incrível, ok ele odiaria ouvir de mim chamar ele de segundo vilão porque ele em si talvez seja o líder de todos os cara do mal. Vamos então chamar de vilão supremo, o que eu mais gostei dele é a sua forma descontraída e engraçada de falar, ele fez muita piada e ficava naquela de "olha... vocês podem me matar, eu não recomendo... mas vocês podem" pode não parecer algo grande, mas foi o suficiente pra irritar todos, principalmente o que ele faz antes de ficar soltando essas piadas, a Emma queria totalmente matar ele. Pra quem leu o primeiro livro e se decepcionou por algum motivo louco, eu recomendo muito ler o segundo só por esse vilão que aparece no final, só por ele.   

Duas coisas que gostaria de falar: Primeira tenho que pedir desculpas se fiz muita comparação com o primeiro livro, é que teve uma mudança muito grande de um pro outro. Segundo eu não abordei tanta coisa assim da história porque seria spoiler e eu sou totalmente contra isso ok? Eu só peguei os pontos principais ao meu ver que são os personagens e reviravoltas que teve no final, não quis falar também dos novos personagens porque são de fato muito importantes e não iria ficar legal comentar aqui, pra quem leu sabe o motivo. 

Então isso é tudo pessoal.

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que esta lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :3

0 comentários:

Postar um comentário