27 de mar de 2017

Capítulo Três - Competição de Bebidas


O dia que antes estava alegre e divertindo se tornou um dia triste e cinzento, a chuva que nem parecia surgi começava a querer aparecer no céu que antes estava ensolarado. Conforme o grupo de aventureiros sai das proximidades da delegacia e vai em direção o templo que fica no centro da cidade, eles conseguem percebe os olhares sem direção e a cara de infelicidade que cerca os habitantes de Coronar e seus visitantes, elfos, que sempre demonstram uma alegria com seu sorriso lindo capaz de roubar o coração de qualquer dama, agora sumiu por completo, nada ali parece ser a Coronar que os aventureiros conhecem, eles começam a andar em direção ao templo tentando chegar cada vez mais próximo as escadarias para conseguir qualquer tipo de informação e matar essa dúvida e rumor de que a Orbe protetora da cidade foi roubada... Depois de alguns minutos o grupo se depara com uma corrente humana de brutamontes de um reino distante, mesmo sem nenhuma informação sobre essas pessoas todos os aventureiros deduzem que sejam de um outro reino pelo uniforme e armadura que todos ali utilizam. O primeiro a quebrar o silencio é o Ragnar que chega perto de um dos que estava fazendo o certo, um rapaz de estatura média com um olhar severo de quem sofreu muito até chegar aonde estar. 


 - Poderia me informa o que aconteceu? -  Pergunta Ragnar enquanto tenta olhar nas pontas dos pés algo atrás do cerco – O evento foi adiado ou vai se atrasar? 

- Segredo... Não podemos compartilhar com ninguém – Responde o guarda seriamente enquanto ignora o olhar dos aventureiros.
- Olha... Eu também tenho segredos e não tenho vergonha de compartilhar – Retruca Floki enquanto fica cutucando a barriga do guarda – Não custa nada abrir a boca pra gente, todos aqui irão guarda segredo, claro claro exceto aquele anormal ali – Diz Floki apontando para o James que esta preso em um mata-leão da Ascherit que foi obrigada a prender ele pois o mesmo estava batendo em todos que passava por ele. 

Ragnar ao ouvir o companheiro retrucar o guarda puxa o mesmo pelo braço e anda alguns passos atrás junto da Ascherit e do James - Não iremos conseguir nada agindo como idiotas, irei tentar novamente e vocês não falem nada de errado – Murmura Ragnar para o grupo.

- Me responda algo, vocês são de qual Reino? Nunca vi nenhum uniforme desse que você está usando em toda a minha vida – Diz Ragnar diretamente .

- Somos do Reino de Westy fomos enviados até aqui hoje para ajudar na patrulha e na guarda do templo – Diz o guarda seriamente quebrando qualquer oportunidade do Ragnar de falar novamente.

- Mais alguém ali de mim sabe qual reino é esse? Posso deixar claro que não iremos conseguir passar nem tão cedo por esses guardas – Diz Ascherit puxando Ragnar por um braço e soltando James pelo outro enquanto impede Floki de roubar um aventureiro que estava passando distraído.

- Não senhorita sabe tudo eu não sei que maldito reino é esse e ainda por cima me atrapalhou, esta me devendo dinheiro ok! – Diz Floki com braços cruzados.

- Meu senhor nunca me mandou para lugar algum chamado Westy então não faço idéia de onde é – Diz James balanço o pescoço pra confirma que o mesmo ainda estava em perfeito estado.

- Também nunca ouvir falar sobre esse reino, por hora Ascherit vai explicar um pouco sobre esse reino e logo em seguida iremos ver o que podemos fazer pra entrar no templo – Diz Ragnar olhando o seu redor percebendo que o público que estava ali pelo evento cada vez mais estava indo embora frustrado.  



Ascherit leve seu grupo para alguns metros da corrente de guarda pra conseguir falar sobre o reino de Westy, ela respira fundo e explica que o reino de Westy é o reino natal dela, ali que ela nasceu e cresceu boa parte de sua vida, porém toda a sua família foi morta por bandidos quando ela tinha 10 anos e que o rei que até hoje é dono da coroa nada fez e que ela guarda um rancor muito forte disso, mesmo que hoje suas preocupações sejam outras tomando conta de um grupo de taberneiros. Com isso ela explica o motivo de ter ficado calada antes quando todos estavam de frente aos guarda já que ela é a melhor socializando. Depois de alguns minutos explicando o regime de treinamento e alguns pontos fracos e fortes da cultura de Westy o grupo decide voltar até lá e negociar de alguma maneira a sua passagem até o templo, porém na metade do caminho o grupo percebe que alguém sumiu, um de seus companheiros sumiu e antes que algo pudesse ser falado pelos aventureiros se ouve uma gritaria e xingamentos vindo ao leste do grupo, todos correm já imaginando do que se trata, chegando próximo a gritaria Floki com toda a sua delicadeza já demonstrada começa empurrar todos que estão no seu caminho enquanto grita o nome de James com a certeza de que ele estava na confusão, dito e feito lá estava James com seu cajado em uma mão e na outra ficava balbuciando palavras ao vento e do outro lado um guarda de Westy com sua espada em mãos retrucava as palavras feitas pelo Clérigo.



- Como ousa falar mal do meu senhor, seu sujeito sem fé - Diz James enquanto aponta o seu cajado de madeira envelhecida com uma cor negra, na ponta do cajado que está próxima ao rosto do guarda um polvo sorridente se faz presente demonstrando o deus Cthulhu do clérigo 

- Seu bicho desgraçado, não aceito que seres como você ainda estejam nesse mundo, seu deus não existi e você assim como ele vai sumir nesse exato momento desta cidade - Diz o guarda indo em direção ao clérigo com as espadas em mãos. 

Antes que o grupo pudesse reagir a qualquer coisa, diversos soldados do reino de Westy chegam se espalhando no meio da multidão que cercava a briga, visto que não iria sair algo bom dali Floki se joga no meio do James e do guarda chorando e gritando - Como ousa atacar um simples morador da cidade - enquanto fingia o choro ficava sinalizando para o grupo tirar o James do meio da confusão antes que os soldados de Westy aparecessem. Depois de alguns minutos de confusão o grupo ver o Floki sendo abraçado e consolado pelos cidadãos que estavam ouvirando o seu choro e do outro lado temos o guarda explicando ocorrido e sendo xingando por todos que estavam presente, rapidamente Floki se uni ao seu grupo olhando para o James enquanto passa a mão no pescoço em uma tentativa de demonstra que o seu companheiro clérigo já poderia se considerar morto. 



- James pelo amor de seu deus, você tem que parar de ser tão suicida assim, estamos cansados de salvar você toda hora – Repreende Ascherit enquanto anda em direção a central 

- Eu ainda não sei por que vivo salvando esse cara – Diz Floki arrancando na frente dos amigos enquanto balança a cabeça negativamente 

- Talvez porque vocês são amigos né – Murmura Ragnar rindo para Ascherit enquanto caminham pela cidade – Pelo que parece o nosso plano foi pro lixo, temos que pensar no que fazer novamente 

- Também acho que agora não vai dá pra ir nos guardas, eles já devem ter gravado o rosto do Floki e do James – Diz Ascherit desanimada – e nos dois não iremos conseguir resolver tudo sozinhos
No meio do caminho Floki para – está muito calmo pessoas – ele se vira para falar com o grupo – calmo demais... 

- Ah, por favor, ele desapareceu de novo?! – Diz Ascherit olhando ao redor 

- Calma gente, ele deve ainda está próximo, ele esta do nosso lado até agora – Diz Ragnar tentando acreditar no desaparecimento de James – Ali está ele – aponta Ragnar para seu companheiro clérigo que gesticulava algo na frente de um alto elfo de longos cabelos loiros. 


O grupo de surpreende não pelo seu companheiro sumir a cada 10 minutos, mas sim pelo imã que ele possui para confusões com pessoas importantes, na primeira vez foi preso, depois acabou arrumando briga com guarda de outro reino e agora está de frente com um elfo diferente, um elfo que tanto James como todo seu grupo nunca chegou a ver antes, um elfo com olhos verdes e longos cabelos loiros, carregando consigo um florete prateada, suas roupas extremamente limpas e bem arrumadas em seu corpo, com um olhar se superioridade o elfo ignora alguns xingamentos ditos pelo James e alguns de seus companheiros chegam a rir pela infantilidade apresentada pelo clérigo.



- Por favor meu caro, jamais quis despeitar seu deus, eu apenas não consigo acreditar em tal existência – Diz Doeran, elfo com florete 

- Não quero saber, se eu digo que você tem que se converte ao meu deus é porque ele está chamando voc— Antes que pudesse termina a frase James é fortemente levado ao chão pelo chute nas costas que Floki dá 

- Me perdoe meu senhor, não queríamos causar nenhum infortúnio, nosso companheiro às vezes é pouco lunático – Diz Ascherit tentando ser mais educada possível depois de ouvir as palavras de Doeran

- UM POUCO?  SÉRIO? – Pergunta Floki enquanto empurra James no chão 

- Eu... não... curo... ma.. mais... você... – Diz James com dificuldade para Floki 

- HAHAHAHA EU VOU TE MATAR HEIN – Debocha Floki 

- Por favor, ignore esses dois, o que posso fazer como pedido de desculpas  - Diz Ragnar esticando a mão para cumprimentar Doeran

- Não a motivos para se desculpar, foi apenas um mal entendido, seu amigo de fato foi irritante mas, que bom que vocês deram jeito – Diz Doera respondendo ao cumprimento de Ragnar – Ele deveria ficar agradecido de ter amigos pra salvar ele, se fosse outro já estaria no chão agonizando – Sorrir Doeran enquanto encara Ragnar

- Claro claro, ainda bem que somos amigos dele e que não existe alguém louco o suficiente para encostar um dedo nele além de seus amigos – Ironicamente diz Ragnar enquanto aperta com força a mão de Doeran

- Ah é mesmo? Bom saber – Retruca Doeran apertando a mão do Ragnar e com a outra segurando no cabo de seu Florete 

- Meninos... Calma, não já resolvermos a situação? Não precisamos fazer uma competição de força nem nada disso aqui – Diz Ascherit tentando acalmar os nervos de todos 

- Olha, gostei da sua idéia, acho interessante uma competição – Diz Doeran enquanto larga a mão de Ragnar – Poderíamos ver quem agüenta mai--- 

- Gostei também da ideia, agüentar quem fica por ultimo em pé? Gostei estou dentro – Diz Floki largando James no chão enquanto levanta e coloca as mãos em suas adagas 

- Também achei interessante isso, faz tempo que meus arcos não vêem sangue, principalmente de quem insulta meu  companheiro – Diz Ragnar puxando arco de suas costas 

- Depois eu que sou o causador dos desastres hein Ascherit – Diz James ironicamente

- Amigos... Por favor vocês entenderam errados, guardem suas armas – Diz Doeran assustado com tantas armas virando em sua direção – Não é desse tipo de competição que estou falando, mas sim de quem agüentar beber mais, dois anões... Não duvido que bebida seja seu ponto fraco 

Ragnar e Floki olham um para o outro e sorrindo ambos dizem – Claro claro, vamos beber meu caro elfo. – Enquanto guardam suas armas como se nada tivesse acontecido
Enquanto isso Ascherit dá um suspiro de alivio tentando não imaginar o que de ruim poderia acontecer e James levanta do chão já sendo segurado no braço pela Ascherit – Chega de confusão por hoje – E acaba assim sendo escoltado por Ascherit enquanto segue Ragnar e Floki

Com tudo resolvidos, o grupo de aventureiros seguiu Doeran até uma taberna local, depois de passar algumas esquinas e quase rodar toda a cidade, o grupo chega a uma taberna de esquina que chamou a sua atenção pelo grupo de pessoas que espera pra conseguir se quer entrar no local, mas Doeran consegue passar tranquilamente sem ter que esperar na fila, Ascherit olha para a placa que indica o nome da taberna e ver que ela se chama O Corvo do Inverno e ao lado do nome uma pequena montanha branca com um pássaro negro na ponta da montanha. Lá dentro Doeran se senta ao lado do clérigo de frente para Ragnar e Floki na ponta da taberna, Ascherit puxa uma cadeira e senta para ouvir as regras que estão para ser ditas pelo anfitrião do campeonato. O perdedor da competição tem que ir à praça pública subir em um palanque e declarar que o vencedor é o maior aventureiro de Coronar, para Ragnar e Floki colocar orgulho e honrar em risco é algo fora do normal, porém quando a briga é em bebida ambos anões são bravos guerreiros.



- Só gostaria de deixar claro, senhor espadachim que eu já bebi 120 COPOS esse é meu recorde e o seu? – Diz Floki  com orgulhoso

- 120 são números bem altos hein – Diz Doeran maliciosamente – Mas o meu recorde é de 254 copos. 

Floki olha para Ragnar com uma expressão debochada, mas que no fundo está com medo do resultado. No fim antes que qualquer outra palavra fosse dita surge à filha do taberneiro perguntando o que eles iriam querer. Uma jovem mulher pouco desprovida de beleza, com uma mono-celha e um pouco acima do peso que mesmo com essas pequenas desvantagens na beleza, demonstrou ser muito para o Ragnar.



- Iremos fazer uma competição, por favor pode começar a trazer as canecas de hidromel – Diz Doeran quebrando o clima da atendente 

-Obrigado... – Diz Ragnar suspirando

- Hahah deixe isso de lado – Responde Doeran



Depois de alguns minutos as primeiras canecas de hidromel começaram a surgi, mas antes que a competição tivesse seu inicio, o dono da taberna surge no meio das pessoas que estavam começando a se juntar para ver tudo de perto, perguntando o que estava acontecendo mesmo já sabendo a resposta, depois de uma rápida explicação do Doeran só se ouvia os gritos do taberneiro mandando sua filha trazer algo que pudesse fazer marcações e assim começando a fazer apostas sobre quem seria o vencedor – Quem aqui irá apostar nesse elegante espadachim? – e logo em seguida apontava para os aventureiros – Ou quem aqui vai apostar nos maltrapilhos? – Depois de algumas peças de ouros arrecadas inclusive do James que apostou em seus companheiros, começou então a competição de bebidas... Quase duas horas se passaram de canecas e mais canecas de hidromel viradas, a resistência dos anões era algo louvável de se ver, a forma que cada um dos dois virava as canecas e pedia mais uma, porém Doeran também não ficava para trás, mesmo elfo conseguia se diverti enquanto bebia elegantemente fazendo algumas mulheres da taberna suspirarem, inclusive a Ascherit só que essa de tédio.  A competição estava de fato muito bem disputada, só que o que Doeran falou antes de começar a beber realmente se provou ser verdade, seu recorde realmente não era uma mentira e conseguiu com um placar de 232 canecas vencer a dupla de anões que não conseguiam mais virar nem o rosto de tão cheios.



- Eu não acredito que perdi meu ouro por causa de vocês – Diz James surpreso – Achei que vocês eram de beber, vocês são anões

- Eu achei que você era educado, bonito e elegante já que é elfo, mas vi que estou errado – Diz Floki com a mão na barriga tentando sobreviver depois de tantas canecas seguidas de hidromel

- Ah meus caros amigos de bebidas, parece que eu realmente me tornei o vencedor de tal disputa, por favor, vamos seguir até a praça que eu adoraria ouvir seus mais graciosos elogios – Diz Doeran com braços abertos sorrindo 

- Sim claro que iremos sim – Diz Floki olhando para o Ragnar sinalizando a porta – Já até estamos lá seu idiota – Levanta correndo em direção a porta 

- Posso fazer nada meu caro amigo – Diz Ragnar rindo – Somos aventureiros melhores que você – Diz Ragnar levantando em seguida acompanhando o companheiro anão

- Eu sabia que no fundo independente do resultado eles iriam sair correndo – Diz Doeran com a mão no rosto em um sinal desaprovação – E eles simplesmente sumiram olha lá – Aponta para porta agora se fechando sozinha depois de Ragnar passar correndo

- Por favor, perdoe meus amigos, eu imaginei desde o começo isso também, por isso não quis participar, para no fim conseguir me desculpar – Diz Ascherit em um tom sério 

- Não acredito que perdi meu ouro – Diz James quase chorando – Eu demorei tanto pra juntar tudo aquilo 

- Assim que eu ver eles irei tentar convencer mesmo que não consiga que eles paguem essa dívida, que eles assuma o acordo que eles fizeram com você – Diz Ascherit se levantando junto do James para ir embora atrás de Ragnar e Floki 
- Por favor, irei esperar alegremente por isso – Diz Doera levantando logo em seguida para cumprimentar pela primeira vez Ascherit

Depois de sair da taberna, Ascherit e James olham ao redor e percebem que de fato os dois anões sumiram, como o dia que antes estava claro, agora demonstra ser um final de tarde nublado com poucas estrelas no céu se escondendo nas nuvens. Ascherit e James decidiram ir novamente até o templo para agora sim colocar em pratica o plano de negociar com os guardas de Westy. Chegando próximo ao templo encontraram seus dois companheiros de grupo ainda rindo sobre a derrota que se tornou vitoria na taverna e se vangloriando por espalhar na metade da cidade que Doeran era fraco com bebidas e que chorava que nem criancinha quando perdia. 



- Meninos... Vocês sabem que isso é errado e que quando ele souber disso vocês irão sofrer as conseqüências – Repreende Ascherit – principalmente você Ragnar que é da guarda-real o que vai ser do seu trabalho como voluntário 

- Eu nem sei se ainda o tenho, em vez de essa vida normal desses últimos meses eu pretendo ir viajar em uma aventura com vocês o que acham? – Diz Ragnar com braços abertos ainda um pouco sobre o efeito da bebedeira



Todos com braços pro alto rindo imitando o companheiro anão bêbado dizendo que sim, menos Ascherit que ainda está irritada pelo evento na taberna



- Hum... Viver uma aventura? Talvez eu possa ajudar vocês com isso – Diz uma voz desconhecida, mas bem suava e com um tom bem feminino.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

É meus caros leitores, James ainda está um pouco longe das brigas...
Vamos ter fé para que ele não faça nada muito louco e que coloque a vida do grupo em risco. 

Você pode ler também nos sites: 

Spirit Fanfics
Nyah Fanfiction

Então isso é tudo pessoal

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que esta lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário