13 de mar de 2017

Capítulo Um - Dia do Dragão


“As crianças de hoje em dia, vivem tão alegremente, passando boa parte do seu tempo descobrindo novos lugares e correndo sem medo pela grande cidade de Coronar, brincando até tarde da noite e muitas das vezes parando para ouvir as diversas histórias de muitos aventureiros que passam pela cidade, essas crianças jamais irão sentir o medo de sequer pisar fora de casa, de trabalhar dia e noite para pagar impostos extremamente caros para um ser tão mortífero e terrível que mesmo cientistas dizendo que sim, muitos ainda duvidam que existia um coração...” Hoje em dia essa história não é nada mais nada menos que uma lenda, uma antiga lenda que faz dessa cidade tão famosa a história por trás disso tudo envolve um clérigo e um dragão e aconteceu exatamente há 100 anos atrás...

“Por muitos anos a cidade de Coronar viveu sobe a ditadura de um ambicioso dragão vermelho, um ser tão majestoso e belo que todas as vezes que abria as suas asas qualquer pessoa longe ou perto fica hipnotizada pela beleza sedutora que era demonstrada, no entanto ao mesmo tempo que é belo e majestoso ele também carrega consigo um ódio gigantesco pela raça humana e aliadas, para o dragão todos os seres são inferiores e ele é o único que tem o direito de reinar acima de todos. Em um certo dia um cidadão não agüentou mais viver essa vida de servidão que lhe foi obrigado, ele ainda sendo um clérigo novato partiu para outras terras atrás de poder suficiente para expulsar o dragão e trazer a paz que um dia existiu na sua amada cidade, alguns anos se passaram e o clérigo um pouco mais estudado nas artes dividas retornou a Coronar trazendo consigo uma orbe mágica para enfrentar o dragão, a batalha durou 2 longos e cansativos dias mas no fim valeu a pena, pois o clérigo quase morto conseguiu derrotar e expulsar o terrível dragão vermelho de Coronar. Esse clérigo foi aclamado como herói da cidade e depois de sua morte ganhou um templo e uma estatua no meio da cidade. Boatos dizem que a orbe foi colocada no mais profundo andar do templo e que a magia que sai dela é a única responsável por manter o terrível dragão longe de Coronar e que se um dia ela for roubada... O Dragão vai retorna de destruir tudo novamente com a sua fúria"

100 Anos depois da batalha do clérigo contra o dragão a cidade de Coronar cada vez mais está feliz, as ruas estão mais movimentas e o templo todos os dias recebem centenas de aventureiros que sempre buscam algum conselho divido ou inspiração para seguir na aventura com mais garra e coragem. E hoje o Dia do Dragão tudo na cidade está acontecendo em dobro, para comemorar a vitória do clérigo um dia foi fundado em sua homenagem, centenas de pessoas surgem de todos os lugares possíveis para prestigiar a tão famosa data, a cidade recebe de braços abertos todos os tipos de raças e muitos grupos de aventureiros são formados, o comercio local fica a todo vapor com as ruas cheias de aventureiros, tabernas e hotéis ficam lotados com todo o tipo de gente diferente, nada pode destruir esse dia de alegria...


 - Hoje o dia está belo, espero que nada saia do normal, principalmente por ser o dia no nosso herói – diz Ragnar, anão de cabelo e barba loira, carregando um arco e flecha e algumas outras armas no corpo.

-  Tecnicamente o clérigo lá não é o seu herói, você nem da cidade é – diz Floki, anão de cabelos e barbas ruiva com um sobretudo preto e adagas na cintura.

 - Para um defensor da lei dessa cidade, hoje é o meu dia sim – Reponde Ragnar seriamente enquanto olha seu companheiro de grupo...

- Ainda não saquei essa sua ideia de ser voluntário na guarda da cidade... O que está ganhando com isso mesmo?

Ragnar estufa o peito e quando estava prestes a fazer um discurso – Eu ganho toda a honr...

Vocês estão novamente brigando, é serio isso? – Uma voz feminina surge no meio da multidão interrompendo as palavras de Ragnar – Deveriam ter vergonha dos seus atos... dois homens velhos...

Ah claro claro, e você deveria estar na cozinha fazendo comida não acha? Senhora gigante – Diz Floki ironicamente

No dia que você ganhar um duelo meu, podemos conversar sobre quem deve ir ou não para cozinha – diz Ascherit, humana alguns centímetros mais alta que um anão, com longos cabelos vermelhos com uma armadura e escudo negros como a escuridão.

- Agora quem realmente está brigando?! Em vez disso vocês deveriam está procurando comigo – Diz Ragnar enquanto tenta ficar na ponta dos pés para olhar a multidão

- Procurando o quê? – Em duvida pergunta Ascherit intrigada

- Ou melhor... Quem?! Mas nem precisa responde, já que estamos falando daquele lunático – Diz Floki levando a mão no rosto e logo em seguida balançando a cabeça com desaprovação

- Exato! Ele mesmo que estou procurando, esse não era o nosso ponto de encontro? Aonde é que ele se meteu? – Diz Ragnar ignorando seus amigos e indo em direção ao guarda que passava.


Conforme o trio de amigos conversa mais e mais pessoas se juntavam a eles, já que os três estavam perto do portão do templo, mas logo o trio saiu dali pois Ragnar avistou um guarda local que estava em patrulha rotineira pela cidade, um amigo recente que mostrou a cidade para Ragnar e apresentou ele a corte real quando queria se voluntariar para servi como guarda. Enquanto passava não ouviu os chamados do amigo pois estava próximo a multidão, porém o guarda foi seguido até um praça um pouco mais afastada e somente ali ouviu a voz de Ragnar um pouco afobada.


- Oh meu caro amigo, como esta indo a patrulha? Estava procurando por ti nesse exato momento, como o seu turno no campo esta quase acabando você foi designado para cuida da delegacia, porque pelo que parece alguém foi preso – Diz Guarda Local sorrindo enquanto olha Ragnar vindo ao seu encontro com mais um anão e uma humana

- Deixa eu tentar adivinhar quem é essa pessoa, por acaso ele é um elfo? – Diz Floki chegando de encontro ao Ragnar e interrompido qualquer  oportunidade do mesmo falar algo

- Usa um sobretudo branco e um cajado preto? – Diz Ascherit já deduzindo a resposta do guarda

- E por fim... Ele tentou convencer você a esquecer seu deus e seguir o dele? – Perguntou Ragnar com a mão na cabeça tentando minimizar qualquer vergonha que poderia esta estampada em ser rosto

- Sim sim e sim... Vocês por acaso conhecem esse rapaz? – Diz o Guarda boquiaberto com as perguntas extremamente claras e precisas sobre o prisioneiro

- Queria eu não ter que conhecer aquele idiota – Diz Floki com os braços cruzados

- Não seja tão ruim assim com ele, talvez tenha sido um engano a prisão dele – Diz Ascherit tentando acalmar a situação

- Qual foi o delito dele? Algo muito sério? – Diz Ragnar voltando-se para o guarda e assim cortando qualquer outra baboseira que Floki poderia falar

- Não deveria ser algo sério se ele somente tivesse feito isso, porém ele fez na frente do templo, o sujeito em questão subiu em uma caixa e ficou proclamando palavras sobre seu deus, dizendo que todos ali deveriam esquecer o falso clérigo e seguir o deus dele, e como todos estavam ignorando o sujeito desceu da caixa e começou atacar os cidadãos e visitantes com seu cajado, se a guarda não tivesse chegado a tempo ele poderia ter sido lixado por outros aventureiros.

- Olha só o que eu falei! – Exclama Floki com os braços abertos – Ele é um lunático, vamos esquecer ele e procurar outro clérigo é serio gente

- Muito obrigado pela informação meu amigo, estou indo agora pare delegacia pegar o meu posto, Feliz Dia do Dragão para você – Diz Ragnar sorrindo enquanto seu amigo de guarda continua com a sua patrulha enquanto ignora a histeria do Floki

- Acho melhor irmos ver como está nosso companheiro, mesmo ele merecendo está de castigo, não podemos simplesmente parti para uma aventura sem ele – Diz Ascherit novamente tentando acalmar a situação

- É o que iremos fazer agora, vamos Floki não quero ouvir um não como resposta, principalmente vindo de você – Diz Ragnar pegando Floki pelo braço e levando consigo para delegacia.


Depois de uma longa caminhada e diversas pausas para ouvir os resmungos do Floki o trio finalmente chegou a delegacia da cidade, um prédio não muito alto com algumas estatuas de gárgulas em pedra nas pontas do teto e diferente do normal poucos guardas circulando ao redor já que hoje é o Dia do Dragão toda a segurança foi voltada para o centro da cidade e próxima ao templo do clérigo. 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Muito obrigado por ter chegado até aqui, como falei antes a história no começo teve uma enrolação mas nos futuros capítulos teremos mais ação.  


E sim, se você já é um leitor do blog, essa é uma fanfic, eu estou escrevendo uma também entrei na onda 
Sou mestre de rpg de mesa, e toda essa fanfic que você leu agora é o primeiro capítulo de toda uma grande leva que vai vim nos próximos domingos.

Você pode ler também nos sites: 

Spirit Fanfics
Nyah Fanfiction

Então isso é tudo pessoal.

Obrigado por estar no meu blog
E se você está lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário