3 de abr de 2017

Capítulo Quatro - Selene e o Templo


“Todos os aventureiros sonham em ter grandes aventuras pelo mundo, explorar e conquistar masmorras e entrar em cavernas cheias de mistérios, tudo isso não só pelo prazer incondicional após conquistar algo difícil, mas também tudo isso é pelo ouro e a fama que vai ser entregue logo em seguida.” Essas foram às palavras proferidas pela esbelta mulher que aparece no meio do por do sol ofuscando os olhares do grupo e de outros aventureiros que passavam. 

Floki coloca as mãos nos olhos tentando enxergar através da claridade que já se esvai no local - Olha minha cara eu já sou um aventureiro eu não preciso de ningu— Antes que pudesse termina a frase, Floki consegue admirar a mulher a sua frente e rapidamente em meio a pequenos esforços – Por favor, continue com o que estava falando, eu não quis atrapalhar suas sábias palavras. 

- Perdoe meu companheiro, ele não sabe reagir a uma bela mulher – Diz Ascherit indo de encontro à mulher misteriosa. 

- Não tem problemas, às vezes isso acontece – ? 

- Antes de qualquer coisa, quem é você? E por que oferecer uma aventura para um grupo que nunca teve contato? – Diz Ragnar atrapalhando o princípio de conversa que Ascherit poderia ter. 

- Perdão pela minha ignorância, eu me chamo Selene – Diz a Selene, uma alta mulher humana com longos cabelos castanhos e um uniforme que não parecer ser da guarda, mas sim de algo como uma milícia, carrega consigo um escudo e uma espada média. – E sobre a possível aventura, receio ter que dizer que aqui não é um bom local – Diz Selene enquanto olha ao redor com uma preocupação transparecendo para todo o grupo no olhar. 

- Confesso que agora fiquei curioso sobre essa aventura, bem eu me chamo Ragnar, esses são meus companheiros – Diz Ragnar abrindo os braços e tentando se manter ainda em pé com o pouco de bebida que ainda está no seu sangue, enquanto olhava para Selene ia apresentando todos do seu grupo.

- Um clérigo, um ladino, uma guerreira e um arqueiro... Seu grupo está muito bem completo, espero que sejam tão unidos como aparentam ser – Diz Selene enquanto fica olhando de cima a baixo para todos os companheiros de Ragnar – Meu grupo tem diversos integrantes, porém como companheiros fieis tenho comigo Edgar e Rudi -  Selene vira-se para trás e aponta para dois humanos altos e largos com espadas em mãos, parecem dois gêmeos da maneira como reagem juntos a cada pedido da Selene. 

- Ok ok muito legal tudo isso, estou adorando mesmo toda essa socialização marota que está acontecendo aqui – Diz Floki enquanto atravessa os dois guerreiros na conversa – Tudo indo muito bonito mas vamos ao que interessa, o que realmente é essa aventura ? – Floki para de braços cruzados encarando Selene frente a frente

- Não usando todas essas palavras que meu companheiro falou, mas sejamos sinceros e vamos direto ao assunto, muita coisa está estranhada hoje e não quero perde meu tempo conversando sobre algo que não vá render em nada – Diz Ascherit em um tom sério tentando fazer todos voltar à realidade
- Também acho isso, vamos para um lugar mais recluso para ter uma conversa mais séria sobre coisas que irão agradar vocês – Diz Selene enquanto sai andando – Por favor, me sigam. 

Enquanto o grupo sai da frente da cidade com a Selene todos começam a perceber que o cerco de soldados está cada vez menor, soldados tanto do reino local como o de West estão começando a centralizar suas atividades nos portões principais do templo. Selene enquanto toma a liderança desse pequeno percurso pela cidade troca algumas frases com Ragnar sobre a guarda de Coronar e como ele conseguiu ser recrutado para tal coisa. Ragnar e todo o seu grupo se surpreendem ao saber que Selene é uma chefa da milícia local, que tem um só objetivo: Proteger os cidadãos. Por isso que o reino no máximo faz vista grossa para perturbação criada por essa milícia. Outra coisa que era pra surpreender o grupo, porém se tornou algo comum é que ao olhar para trás o grupo percebe o seu companheiro clérigo tentando trazer um dos companheiros da Selene para sua religião. 

- Sério mesmo que você não tem nenhuma religião? Não acredita em nenhum deus? – Diz James com o braço em volto do pescoço de Edgar como se fossem amigos de longa data

- Eu... Eu prefiro não comentar mais sobre isso – Edgar 

- Digamos que você está em um estado de vida ou morte, um dragão está prestes a te matar... O que você faz? No meu caso eu imploro ajuda do meu senhor e adivinha... Ele me atende – Diz James em um tom de locutor, como se estivesse vendendo algo

- Claro, mas primeiro você tem que está cara a cara com um dragão e não ficar soltando mentiras sobre suas conquistas – Diz Ascherit dando alguns passos para trás e chegando ao meio da conversa do James com Edgar – Já falei várias vezes para você não ficar fazendo essas coisas – Exclama Ascherit enquanto puxa orelha de James 

- Não puxe orelha dele, corte logo assim ele fica surdo e não fica falando baboseira – Alegra-se Floki com tal idéia surgida no momento

- Quê? Minha orelha... Como vou ouvir as palavras do meu senhor – Choraminga James tentando se soltar das garras severas da Ascherit. 

- Grupo animado esse seu, não ficam cansados na hora de lutar? – Pergunta Selene enquanto observa olhando para trás todo ocorrido 

- Infelizmente não, até na hora de dormi eles arrumam alguma maneira para começar uma briga – Depressivamente diz Ragnar com a mão no rosto sentindo vergonha dos atos infantis do seu grupo – Pelo menos na hora de defender alguém, ou de ganhar dinheiro, essas crianças se transformam em demônio se for pedido – Diz Ragnar tentando ser orgulhar de seus companheiros. 

- Para aonde iremos, talvez eu precise que seu grupo seja esse demônio que você diz, quase que o tempo todo – Alerta Selene. 

Ao ouvir essas palavras Selene consegue perceber não só uma dúvida, mas como uma curiosidade animadora no rosto de Ragnar, Ragnar aproveitando esse momento se vira para o grupo e comenta o que Selene acabou de falar com ele, Floki e Ascherit demonstram a mesma animação que Ragnar estava sentindo enquanto James continua na cola de Edgar tentando convencer ele a começar acreditar no seu deus. 

- Agora tenho que dizer que você não só é bonita, mas como também consegue prender a atenção de um homem – Diz Floki enquanto se aproxima de Selene e Ragnar 

- De uma mulher também, Selene você de fato é alguém muito interessante e misteriosa – Diz Ascherit sorrindo

- Olha quem fala você Ascherit demonstrar ser uma incrível guerreira e também alguém que esconde diversos truques – Diz Selene enquanto se aproxima da Ascherit 

- Ah claro, Selene minha cara você não faz idéia de como ela sabe cozinhar, guerreira não é grande coisa, mas na cozinha... – Debocha Floki

Antes que Ascherit pudesse talvez de fato matar Floki pela vergonha que ele acaba de fazer ela passar, um pequeno grupo de seis soldados do reino de West para o grupo de Ragnar, dizendo que o caminho que eles pretendem passar esta interditado e que com isso teriam que voltar de onde vieram.

- Quem deu essa ordem pra você? Eu fui convocada pelo grande clérigo Heldo para encontrar com ele no templo, nada e nem ninguém vai me impedir disso – Exclama Selene enquanto começa a sacar sua espada

- Ordens são ordens, se vocês não saírem daqui agora, irei tratá-los como inimigos e temos obrigação de derrubar qualquer um que não obedeça isso – Diz soldado do reino de West enquanto ao mesmo tempo manda todos os outros soldados sacarem suas espada e começarem a prender o grupo “rebelde”

- Ei ei Ragnar, podemos entra nessa brincadeira? – Diz Floki enquanto gira suas adagas na mão 

- Meu caro companheiro anão, não só podemos como iremos entrar – Diz Ragnar enquanto puxa uma flecha e com seu arco rapidamente dispara uma rápida e certeira flecha que vai de encontro a um dos soldados presente acertando o no meio do peito 

- ooh menos um, não vou perde pra você desta vez – Diz Floki correndo em direção a um dos soldados que estava alarmado pelo companheiro ter caído com a flecha no peito, o mesmo antes que pudesse reagir ao ataque de Ragnar se viu caindo no chão com uma adaga atravessando o seu peito e com isso perde suas forças 

Após o ataque dos dois anões, os quatros restantes soldados enfurecidos correm em direção ao grupo de Ragnar exigindo que todos fossem mortos, Ragnar por sua vez pediu para que Selene e seu grupo não entrassem na briga, assim que Ragnar vira para os soldados uma espada repleta de vingança vem ao encontro do anão arqueiro, porém é parada ainda no ar pelo grande e forte escudo de Ascherit que aproveitando da sua defesa com a outra mão uma espada média vai ao encontro do soldado enfurecido atravessando todo o corpo dele e derrubando no chão sem vida. Quando faltavam apenas três soldados Floki e Ragnar juntos criam um ataque duplo, Ragnar sem muito pensar puxa duas flechas curtas e atira rapidamente as duas na direção dos soldados enquanto Floki como mágica aparece atrás de um dos soldados e cortando a garganta do mesmo, únicos sons que se escuta no local é do sangue jorrando no pescoço dos três soldados caídos 

- Quem diria que o arqueiro iria acertar no pescoço também – Diz Floki enquanto limpa suas adagas sujas de sangue – Achei que você não era de matar, sempre te vi atacando em lugares que não matam

- No momento que a vida dos meus companheiros está em risco eu não tenho escolha a não ser acabar com todos no meu caminho – Diz Ragnar com um sorriso malicioso. 

Selene se aproxima mais do grupo de Ragnar com os olhos abertos tanto os dela como os de seus companheiros, não acreditando que de fato todos ali foram mortos, nem ela acredita como também Ascherit não consegue aceitar o que fez ela poderia apenas segurar o ataque, mas o seu corpo agiu sozinho e ela perfurou o inimigo como se fosse nada. 

- E mais uma vez, eu não fiz nada nessa luta – Suspira James 

- Você... É... Um... Clérigo... – Respira fundo Floki enquanto diz – Você não tem que parti para uma luta, mas sim proteger quem foi atacado

- E é exatamente isso que você clérigo vai fazer – Uma voz desconhecida surge no meio dos portões do grande templo 

De dentro de um templo surge um alto e gorducho homem em volto de longas roupas douradas e diversas jóias em todo o corpo – Como ousa não só atacar, mas também matar todos os meus soldados – Exclama o rei de West

- Primeiro de tudo meu senhor, quem atacou a gente foi o seus soldados, apenas nos defendemos -  Diz Selene tomando a frente todo o grupo 

- Eu não quero saber de desculpas, as ordens deles eram impedir qualquer de passar e vocês seus rebeldes fizeram isso – Exclama irritado o rei de West 

- Não posso fazer nada se eles não foram bem treinados, mas se quiser o nosso clérigo vai curar todos os que podem ainda está vivo – Debocha Floki enquanto olha com um sorriso que o James já conhece 

- Sim, meu caro rei eu irei fazer isso para o senhor, com a ajuda do meu deus eu vou fazer todos ficarem melhor – Sorri James indo de encontro aos dois soldados que foram caídos no começo da luta 

- Faça isso imediatamente, e depois todos vocês serão presos por arrumarem briga com os soldados reais – Diz o rei enquanto os encara 
Selene tenta se defender, mas é impedida pelo Ragnar, que apenas balança a cabeça negativamente para mesma, dizendo que não precisa se preocupar e que nada vai acontecer de ruim com ela e seu grupo que naquele momento apenas deve confiar nos poderes do clérigo. James se aproxima nos dois feridos que agonizam de dor, junta os dois lado a lado e começa a fazer uma oração em uma linguagem que ninguém consegue entender. Minutos depois se ajoelha e com as duas mãos começava a passar por cima da cabeça dos dois soldados sem encostar-se a eles apenas sobrevoando tudo. Um brilho verde sai da mão de James e os soldados que antes agonizavam de dor começaram a se debater em uma velocidade sobre-humana e segundos depois caídos sem vida no chão

- Pronto meu senhor, agora seus soldados estão sãos e salvos – Diz James enquanto se levanta e caminha tranquilamente ao seu grupo 

O rei corre em direção aos seus soldados e percebe que ambos estão sem vida – Seu bastardo, o que você fez? Você não é um clérigo, mas sim um bruxo – Diz perplexo o rei de West

- Não meu senhor, eu sou um clérigo e seus soldados estão em um lugar melhor, junto de meu deus – Debocha James rindo junto de Ragnar e Floki 

- Eu... Eu irei matá-lo – Grita o rei de West – Vocês declaram guerra contra a coroa real do reino de West, todos vocês serão executados em praça pública

- Ninguém mais vai morrer aqui – Uma voz suave sai de dentro do templo, logo em seguida um senhor de uma longa barba e trajes brancos aparecem – Chega de matança, principalmente na frente do templo sagrado 

- Meu senhor, perdoe os atos de meus companheiros – Diz Selene se ajoelhando na frente do homem velho – Estávamos indo de encontro ao senhor, mas fomos impedidos e atacados pelos soldados de West, se não fosse por Ragnar e seus companheiros poderiam estar todos mortos agora 

- Oh, saquei tudo, esse ai é o clérigo Heldo certo? – Sussurra Floki enquanto cutuca Ascherit 

- Sim meu bravo anão, eu sou o clérigo Heldo, sou o responsável pelo templo sagrado e meu dever é manter a paz e a fé nessa cidade – Diz Heldo enquanto olha para Floki surpreso por ter sido descoberto

- Vamos conversa em outro lugar, infelizmente aqui nesse momento não está sendo um bom lugar para termos uma conversa – Diz Heldo convidando todos para entrar no templo 

Antes de entra no templo Heldo pede que um dos seus clérigos guiasse o rei irritado para outro lugar e que preparasse algo para o mesmo beber e se acalmar. Entrando no templo todo o grupo de Ragnar se surpreende com a beleza do lugar, um templo muito parecido com uma igreja católica dos reinos próximos. Heldo confirma que sim a orbe mágica de fato foi roubada e que precisa de alguns guerreiros ágeis e fortes para recuperar antes que algo ruim viesse para a cidade de Coronar 

- Então de fato a orbe foi roubada... O que podemos fazer – Diz Ragnar 

- Não sabemos até o momento exatamente quem roubou, porém eu arrisco dizer que foi uma bruxa que cultiva ainda o desejo do antigo dragão – Diz Heldo enquanto entra em uma sala no fundo do templo – Aqui era onde a orbe ficava guardada, hoje pela manhã quando vim junto de meus clérigos preparar tanto a estatua como a orbe e todos nós fomos pegos de surpresa com o roubo dela 

Heldo se aproxima da estátua com um olhar de preocupação e tristeza, a estátua que Heldo se aproxima é uma alta representação do clérigo que a muito tempo existiu, toda feita de mármore e revestida por ouro, na mão que agora está vazia ficava a orbe que emanava uma magia poderosa suficiente que estava qualquer ser ruim da cidade de Coronar, agora vazia a mão apenas tem alguns traços negros nela, mostrando que quem tirou teve uma pequena luta contra a estátua para tirar e acabou sofrendo com isso.

- Eu pedi que Selene buscasse na cidade guerreiros que estivessem prontos para entrar em uma aventura perigosa a ponto de ter poucas chances de voltar com vida – Diz Heldo enquanto encara o grupo de Ragnar – Porém, ao ver a luta de vocês percebi que ela encontro o grupo ideal, tirando o fato de que o clérigo de vocês não demonstrar ser uma boa pessoa, ainda por servo de um deus perverso 

- O que você falou do meu Deus? – Diz James apertando o cajado negro

-  Floki cale a boca de James por favor – Diz Ragnar olhando para o James – Meu senhor, o que o senhor pedir irei fazer com bom grado e não quero nenhuma recompensa por isso apenas saber que a orbe está segura já vale para mim 

Ao ouvir as palavras de Ragnar, Floki que antes estava indo em direção ao James se voltar para o Ragnar desferindo um chute em sua perna fazendo o mesmo cair – Olha meu caro senhor, ignore as palavras do meu companheiro, saiba que não podemos sair em uma busca sem que tenhamos uma recompensa, vamos arriscar nossas vidas nisso, o senhor já pode ir contando as peças de ouro 

Heldo e Selene sorriem com as palavras do anão ladino – Sim Floki iremos recompensar muito bem todos vocês após voltar com a orbe 

- Viu agora sim estamos falando a mesma língua – Diz Floki com braços abertos 

Depois de todos conversarem sobre as recompensa, Heldo explica como recuperar a orbe o que dizer para que a orbe não ataque ele e saiba que eles são enviados do templo sagrado. O grupo de Ragnar se separa com o de Selene no meio do que fazer, Selene pretende ir por um caminho mais demorado, porém mais seguro, enquanto o grupo de Ragnar prefere ir por um caminho mais perigoso, porém muito mais rápido. 

- Então aqui é que nos dispensamos, foi bom conhecer vocês e espero um dia poder proteger vocês como vocês protegeram a mim e meu grupo – Diz Selene sorrindo esticando a mão para cumprimentar o Ragnar

- Espero que até lá eu esteja mais forte e assim em vez de me proteger, podemos lutar lado a lado – Diz Ragnar sorrindo
Logo após se separar da Selene e sair do templo o grupo de Rangar vai para sua casa fora da cidade para começar os preparos da aventura

- Achei bem desnecessário aquele clérigo fazendo oração de proteção, eu não preciso disso – Diz James – Já tenho meu deus pra me proteger

- Seu deus não te protege, ele só não te mata porque não iria te aturar ao lado dele o tempo todo – Debocha Floki

O grupo rir todos juntos, Ascherit é a primeira a se dispersa no grupo dizendo que tinha pequenos afazeres, logo em seguida Ragnar também vai embora alegando que tinha que resolver a situação com os seus companheiros guardas, sobrando apenas James e Floki que juntos vão para casa tentar descansar para começar de fato a aventura mais perigosa de suas vidas. 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Então o grupo vai finalmente começar uma aventura? Uma aventura perigosa? O que será que vai acontecer? 

Não deixe de ler o próximo capítulo

Você pode ler também nos sites: 

Spirit Fanfics
Nyah Fanfiction

Então isso é tudo pessoal

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que esta lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário