17 de mai de 2017

Um pouco sobre RPG


Aloha Família. Mestres Malvados e Jogadores Novatos. Cachecol aqui nesta noite nublada e gelada, trazendo hoje mais uma postagem para o blog, hoje meus amigos iremos conversa sobre RPG, meu amorzinho das noites de sábado e domingo, melhor diversão que já vivi e sempre estou vivendo.

Vamos parti do princípio de que todos aqui sabem o que é RPG ok? Assim pelo menos eu espero, e não eu não estou falando dos rpg online mas sim os antigos, aqueles de mesa que são divertidos e fazem a hora simplesmente voar. No entanto digamos que alguns aqui não fazem ideia do que é, rpg de uma maneira bem prática e rápida, digamos que é um jogo imaginário, você se junta com um grupo de pessoas, cada um controla um personagem e por fim temos o narrador que é o cara que vai contar a história, também conhecido como mestre, esse cara vai decidir tudo, regras, outros personagens, como o mundo é e qual é o objetivo de vocês, se caso tem alguma batalha ele também vai ser o que controla os inimigos, bem basicamente falando tirando os jogadores eles faz tudo. Isso claro é uma forma resumida de dizer o que é todo esse universo se quiser saber mais sobre tem que pesquisar.

Leitor ativo desse blog já deve ter visto que temos uma fanfic aqui que na lógica deveria sair toda segunda, mas sempre acaba sendo uma semana sim outra não, bem essa fanfic que eu escrevo é de um rpg que eu estou mestrando, pois sim eu não comentei antes mas eu sou mestre, claro que isso não é algo que vai mudar suas vidas ou algo do tipo mas eu acho interessante comentar. Nessa fanfic temos um grupo que é composto pelos meu dois irmãos, meu primo e a minha noiva, que estão atras de uma orbe mágica que foi roubada, bem clichê mas sempre encaixar legal quando estamos jogando.

Eu decidir começar a mestra, pois eu não tinha com quem jogar, ou melhor não tinha com quem narrar, que muitas das vezes é o grande causador de não ter jogos ou poucas pessoas saberem sobre o mundo do rpg, porque todos querem jogar e ninguém quer mestra ou muitas das vezes não sabe, pois como eu falei ali em cima um mestre não só comanda todo o mundo e criar a história, desafios e objetivos que pra quem tem imaginação não é difícil, como também um mestre tem que saber as regras, claro falando com base nos sistemas.

Os sistemas de rpg, de uma forma bem rápida e neutra já que não sou especialista nisso, é como se fosse o manual, a base pra um mestre começar a mestra, um bom mestre sabe bastante das regras do seu rpg, se estivar usando um sistema como base, eu por exemplo utilizo muito o Old Dragon, um sistema novo que usa os métodos clássicos, é um sistema simples porém muito interessante eu recomendo pra quem está começando a mestra ou quem vai mestra pra um grupo novo. Com OD eu aprendi que não precisamos narrar uma cena ou uma luta com base em trezentas regras que D&D tem, não que D&D seja ruim eu gosto e já usei, porém OD é algo mais simplório, focando mais na diversão e deixando o mestre livre para mestra da maneira que ele acha melhor.

E agora vamos chegar no ponto que eu queria, eu ultimamente estou mestrando não só o rpg de fantasia medieval que tem como fim a fanfic e como base o sistema de OD, mas como também estou mestrando ou melhor começando a montar grupo pra mestra um jogo bem diferente. Usando como base essa lógica do OD de que você não precisa sempre de regras se o seu jogador quiser pular ou abrir uma porta, não precisa de rolagem de dados pra cada movimento, você simplesmente vai e faz acontecer, usa os dados quando precisar, criar regras na hora e só utiliza elas no momento que for preciso e com isso fazendo a diversão na mesa seguir um fluxo infinito, porque não existe coisa pior do que no meio da luta um jogador para a narração pra pergunta porque o ogro começou atacando com o pé direito e não o esquerdo já que na tribo os ogros eles sempre atacam com pé esquerdo um exemplo ok? isso é muito chato, bem voltando... Eu usando esse pensamento que eu falei estou começando a narrar um rpg de Sword Art Online, que tenho como base a história do light novel e do anime e utilizo das regras quando acho necessárias ela, crio na hora ou as vezes nem crio e só deixo a luta rolar, pois o que vale no rpg é a interpretação e diversão, e se eu posso usar esse pensamento no Sword Art Online, eu também posso usar em muitos outros animes e obras, posso matar aquela vontade de conhecer aquele mundo, eu pelo menos como mestre me divertido muito montando ficha e regras pra isso.

Um pequeno ponto aqui antes da postagem termina, eu comentei que gosto desse estilo de usar regras só quando é preciso e tudo mais, só que tem certas coisas que eu também mudo minha opinião. Tem mesas de rpg que eu junto uma galera antiga desse universo e seu for o mestre sempre levo meu livro e quinhentas outras anotações pois os meus jogadores irão cobrar isso, e em certos momentos isso é bom, deixar o jogo tão realista e imersivo que até lutar com um cachorro pode levar a morte. Se você ver em alguns canais no youtube isso é o que muito acontece, jogos gravados com um tom mais sério, cheios de regras e pausas pra ver se aquilo realmente pode acontecer ou não, ai quem ver de fora vai achar que rpg é um bicho de sete cabeças e não, não é.

Então isso é tudo pessoal.

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que esta lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário