8 de jun de 2017

A Graça de Ser Professor


Aloha Família. Futuros Professores e Alunos Responsáveis. Cachecol aqui neste começo de tarde ensolarado e abafado bem típico do meu amado Rio de Janeiro. Hoje meus amigos iremos conversa sobre estudos, dá aula e virar professor, uma postagem diferente que eu acho interessante.

Nessa postagem por mais engraçado e estranho que seja eu irei tentar ser curto e não deixar minha imaginação me levar, e também tentarei de alguma forma mostra que existe sim algo incrível em ser professor, existe toda uma "graça" nessa que talvez seja uma das profissões mais apaixonadas que existe. E tem que ter paixão, se for pra ser professor no Brasil tem que ter muita paixão, tem que amar acorda todos os dias cedo pra dar aula, sem saber se vai voltar bem pra casa, ter que aguentar alunos xingando você pois em certos lugares respeito não existe, tem que saber viver com um salário curto e pra isso trabalhar em três turnos pra ter uma vida agradável, e falando em salário se trabalhar pro estado tem que saber viver sem salário, já que nem recebe, pra isso tudo tem que ter muito amor. 

Eu quando decidir virar professor, não foi pelo lado divertido que todas as faculdades mostram, não foi pelo lado "uuuh" que a mídia mostra, eu não quis ser professor porque eu acho legal, mas sim porque eu me apaixonei, tive uma professora no ensino médio que abriu meus olhos e me mostrou o quão incrível é essa arte, a arte de ensinar. Me apaixonei muito mais pelo português, letras virou meu sonho e hoje estou cursando ela, estou me formando falta dois anos como professor de algo que amo. Mas acreditem, paixão ainda não é tudo, não adianta se apaixonar pela área, e pelo conhecimento a vontade de aprender não tem que estar igualada ou acima da vontade de ensinar, porque sim se você quer ser um educador você tem que amar o conhecimento. 

Mesmo com isso tudo, existe algo que difere os melhores professores, dos professores "mais ou menos" ou de acordo com o linguajar das crianças o professor "chato e lerdo", e não estou falando da didática ou metodologia de ensino. Hoje em dia no meu ponto de vista o que um professor tem que ter é a mais pura e sincera: paciência. Porque nada nunca é no tempo do professor, mas sim do aluno. Eu trabalhei no meado do ano passado até o começo deste ano em um abrigo, dando aula de alfabetização tanto para crianças da comunidade como também para os pacientes que vivam nesse abrigo, e meus amigos ali sim eu aprendi o que é ter paciência, o que é sim ser um professor, ter amor por isso, os pacientes são em sua grande maioria adultos e idosos, todos com problemas mentais e físicos pois esse abrigo não é de moradores de rua mas sim de pacientes de alta complexidade, então não era nem um pouco fácil, mas também não era difícil eu entrei no ritmo rápido e antes de ver passava mais tempo dentro do abrigo com os pacientes do que dentro da minha sala. 

Bem, eu acabei saindo desse abrigo como professor, e durante alguns meses até os dias atuais eu comecei a achar que estava me perdendo, ainda sei que tenho uma ótima didática não por decisão própria mas sim pelos comentários de quem viu meu trabalho, só que ainda sim eu me sentia perdido, talvez ensinar não fosse algo que eu queria, porque eu não conseguia mais emprego como professor, claro ainda estou estudando e conseguir emprego assim é difícil mas eu via pessoas próximas conseguindo enquanto eu ficava à deriva no mar. Só conseguia trabalhos free lance na área editorial que eu também gosto, porém não é algo que eu AMO, mas eu gosto. 

Até que um certo dia, isso mais ou menos umas duas semanas atrás, a minha tia disse que a minha prima que está no quinto ano do fundamental, estava com problemas em matemática e português, bem minha especialização é em português, nunca fui a melhor pessoa do mundo em matemática mas eu sei me virar e explicar de uma maneira que a outra pessoa entenda mesmo que eu não saiba fazer tal conta, bem dito e feito, fui até a casa da minha tia explicar a minha prima a forma certa de termina o dever, ela não só aprendeu como conseguiu ser uma das melhores da sala na prova. Minha tia então me propôs ser o professor particular da minha prima, comecei a receber por algo que eu gosto, dando aula pra uma só aluna assim toda a minha atenção vai até ela e ainda assim o meu espirito consegue ficar em paz pois sei que ainda existe amor muito amor pela causa. 

Bem o que aconteceu depois foi o causador dessa postagem, algumas amigas da minha prima souberam de mim, conversei com a mãe de muita criança meus amigos como eu conversei com mães, muitas gostaram da forma como eu explico e ensino e me contratam pra ser professor particular. Hoje em dia estou com um horário louco quase nunca paro em caso, vivo mais na casa de outras pessoas do que na minha, mas fazendo algo que eu amo, de certa forma eu driblei a crise que o país vem passando, me tornando um professor particular, e não um explicador como muitos ouvem, não sou explicador não querendo falar mal de quem é. Porque eu dou aula do zero, além de explicar ensino coisas novas já que né vivemos em uma crise, professores estão em greve lutando pelo seus direitos, assim meus alunos quase todos estão sem aula, não aprendendo nada, e eu sirvo pra ensinar eles de uma forma clara e objetiva. 

Eu disse antes que não é querendo falar mal, pois pelo menos na área onde eu moro, grande maioria dos explicadores são pessoas que não cursaram nada, não dizendo que pra ensinar algo precisar ter um diploma, porém na faculdade não aprendendo só a matéria que iremos ensinar, mas sim aprendemos a ser várias outras coisas, como entender se o aluno está mentindo ou não, se ele realmente está aprendendo aquilo e tem vergonha de dizer, aprendemos a dar confiança nos alunos, viramos um psicólogo não só do aluno mas sim dos pais. Cara um bom professor e que eu seja esse um dia sabe tirar coisas do aluno que nem os pais conseguem. Muitas vezes uma explicadora vai pegar a matéria para o aluno e explicar como ele tem que fazer e só, e eu já vi pessoalmente que sem paciência a explicadora chega a fazer o dever pra termina logo. Como se o mundo dela girasse em torno do dinheiro que os pais irão pagar, sim eu já vi muito disso, a duvida que surge quando vejo isso é pra que eu quero dinheiro? Ele não é meu foco principal, é uma necessidade claro, mas não é meu foco principal, pra mim o desafio de fazer uma criança aprender a ler já vale muita coisa, meus amigos ver uma criança lendo é a mesma coisa que ter o pensamento de que "acabei de colocar ela em um barquinho e jogar pro mundo" ela está livre pra viver, isso sim é o que me faz feliz, e faz muitos professores, porém claro sem dinheiro não conseguimos fazer nada disso, por isso que todos estão ali, lutando pelos seus direitos e você acima de tudo caro aluno tem que apoiar muito esses heróis. 

 Então isso é tudo pessoal.
Acabei me divertindo demais, desculpa se exagerei
Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que está lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário