4 de set de 2017

Não Temos Controle Do Público


Aloha Família. Controladores de Plantão e Pessoas que acham que controlam algo. Cachecol aqui nesta noite nublada e com muitos ventos, trazendo hoje mais uma postagem para o blog. Hoje iremos falar sobre como funciona o público. 

Esse é um pensamento que já vem na minha cabeça a bastante tempo, como podemos não controlar mais sim mostra o que é bom ou não para o nosso público, meus leitores, no caso vocês... Foi um pensamento que durou muito pra chegar em um ponto, mas que no fim acabei em nada, já que não pretendo ser uma mídia controladora como algumas emissoras de televisão ou jornais/revistas, eu meio que aceitei que não temos controle do público e pra isso eu identifiquei dois exemplos bem claros.

Como primeiro exemplo temos o meu próprio blog, que de vez em quando eu acabo tomando uns sustos no sentindo audiência das postagens, acontece bastante coisas como, eu escrever um texto incrível (no meu ponto de vista) e percebe que ele não foi tudo de bom para algumas pessoas, isso as vezes me irrita, porque esse texto foi extremamente trabalhado e pensado, ai dois dias depois eu escrevo uma postagem curta sobre algo que eu acho engraçado, uma postagem sem muita edição, só tendo sida escrita, revisada e publica e BUM duplica, triplica a quantidade de visualização em comparação a outra que eu levei tempo escrevendo. Esse é o exemplo mais alto que eu posso colocar de como não templo nenhum controle do meu público, não sou eu que decide o que vocês vão ler, são vocês que decidem o que eu irei escrever, claro sempre levando em conta eu gostar ou não do assunto.

O segundo eu peguei de um anime que muita gente não está colocando fé, porém eu estou com grandes expectativas, mesmo quase no final da temporada, ele vem mostrando um lado bem legal e descontraído. O anime é Keppeki Danshi, um anime de esporte que não tem o foco no esporte, mas sim no personagem principal que tem uma pequena agonia com germes, sim uma das piores fobias que existe, a vida dele se resume a limpar tudo e evitar ficar sujo também, mas o episódio seis teve um foco um pouco diferente, o episódio ficou bem focado em um mangaká do colégio que ninguém sabe que ele é o mangaká, mas todo o colégio e o Japão em si é muito fã do cara. Nesse episódio mostra o cara pegando o Aoyama (nosso protagonista) como referência pra sua história e colocando ele como um vilão. Claramente ele planejou algo muito perverso para o personagem, porém todo o público ficou apaixonado pelo vilão e quanto mais ele piorava a história e fazia o vilão ser bem ruim, mas o povo estava apaixonado por ele, e ai que entra o título da postagem, porque quando ele aceitou isso do vilão ser amado, ele quis fazer algo legal e no outro dia todos começaram a odiar o vilão, parece até um paradoxo.


Assim que vi o episódio eu fiquei com vontade de comentar isso, eu achei muito engraçado como as coisas encaixaram tão bem no anime e como elas se conectam ao meu mundo, eu mesmo já desisti de tentar agradar alguém ou melhor, espera algo grande de alguma postagem porque quando tiver que vim algo, simplesmente vai vim, não tem como eu deduzir o que irei falar, é capaz de que eu escreva mal do naruto e não tenha visualização e que eu fale como naruto mudou minha vida e tenha o dobro de visualizações,  coisas simplesmente acontecem, creio que cabe a mim e a você se faz algo que envolve um público, a aceita esse controle que não dominamos.  

Então isso é tudo pessoal.

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que está lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D

0 comentários:

Postar um comentário