Capítulo Nove - Mundo Escuro


Abrindo seus olhos, James se viu em um ambientalmente diferente do que estava, parecia até o lugar que antes estava com seus companheiros, porém neste lugar o céu estava negro, uma lua brilhante era a única claridade do lugar, a sua volta tinha pequenos escombros do que antes foi uma pequena vila, e a frente havia uma estrada de chão batido, sem ninguém próximo a ele, e sabendo que estava nos sonhos da Ascherit, James deduziu que seria melhor procurá-la e ouvi da boca dele o motivo por estar estranha, por ter lutado tão distraída colocando sua vida em jogo já que a mesma é a melhor lutadora que ele conhece a anos.

Seguiu a estrada olhando ao seu redor, sem cajado em mãos única coisa que poderia fazer no momento era aproveitar de suas habilidades como elfo e ampliar seu campo de visão com seus olhos enxergando no escuro, andou por cerca de dez minutos seguindo o caminho que a estrada o guiava até próximo de uma casa, poderia ignorar a casa que a estrada o levava e continuar seguindo para outra direção, mas deduziu que se Floki estivesse com ele, antes de pensar em algo já estiram entrando na casa atrás de algum ouro e também algo dentro de si queria que a casa fosse inspecionada.  

Em passos largos se aproximou da casa, o que antes parecia ser uma mansão olhando de longe e na escuridão da noite, percebeu que na verdade a casa era bem pequena, talvez uma casa de campo de algum caçador perdido ou de alguém que decidir fugir da sociedade e se prender a natureza, em um estado de decadência a estrutura que segurava a casa, deixava claro que ninguém ali era bem vindo, ou que quem entrasse seria por sua conta em risco, “eu não acredito que estou fazendo isso... Ah Ascherit” lamentou James ao abrir a porta, mesmo um lugar escuro como aquele ainda tinha alguns raios de luz que a lua mandava, uma casa sem parede, sala, cozinha, quarto... Tudo se limitava a um cômodo só, tal cômodo ocupado por várias caixas quebradas e tecidos jogados no chão e símbolos desenhados nas paredes, alguns deles reconhecidos por James, não de seus estudos e livros lidos mas sim de figuras e desenhos de Ascherit que sempre comentava sobre sua antiga família e o lugar que tinha crescido. Um sentimento de repúdio percorreu o corpo de James e o mesmo não muito corajoso olhou ao redor da casa percebeu que nada ali iria ajudar na sua busca, rapidamente fez o favor a si próprio de sair da casa e voltar para trilha.

Suspirando e tentando entender o que tinha sentindo naquele lugar ao ver os símbolos nas paredes, James acabou se deixando levar e perde o controle do que vinha ao seu redor, se não fosse pelos ensinamentos de Ragnar teria sido perfurado pelo que viria a seguir, faltando pouco mais de 2 metros para chegar a trilha uma flecha preta vem em sua direção, rapidamente o seu pensamento foi quebrado e o seu corpo automaticamente se moveu a direita conseguindo assim acompanhar a flecha penetrando com força o chão. Piscou rapidamente seus olhos fazendo de castanho claros mudarem para um verde escuro e assim liberando sua habilidade de ver no escuro tentou procurar o seu agressor, olhou diversas vezes na direção da onde flecha tinha vindo, mas quem é que tivesse ali estava muito bem escondido. Até que não foi mais preciso nenhuma busca pois de dentro do arbusto na sua frente saia uma voz fina e tremula de uma garotinha

“Quem é você... O que quer indo na minha casa?” Depois da pergunta, a ponta de uma flecha apareceu no arbusto, uma ponta visivelmente afiada e que tinha se tornado impossível de se desviar já que James para acalmar a criança que se mantinha escondia se prostrou de joelho com a flecha mirada em seu peito. “Não quis lhe assustar, estou atrás de uma amiga que se perdeu” disse calmamente James, sabia que não iria valer de nada mentir, e lembrou que estava no sonho da Ascherit não queria assustar mais o subconsciente dela, pois assim poderia afetar todo o psicológico da companheira. 

Saindo do arbusto ainda com a flecha mirada na direção de James, uma criança de cabelos longos e mal tratados assim como suas roupas que estavam rasgada, alguns machucados no braço e uma mancha vermelha que parecia ser sangue velho cobria a roupa da criança, mesmo com tal aparência o olhar penetrante e inabalável foi o suficiente mostra a James com quem ele estava falando, uma versão criança da Ascherit o olhar da guerreira não mudou com os anos, se ele soubesse um pouco mais da infância da amiga poderia interagir com sua versão mais livremente, porém como cada palavra ai poderia causar um mal entendimento e com isso uma flecha penetrada no coração, James foque-se na saúde da criança, assim poderia ter uma aproximação melhor, deu alguns passos para trás, abrindo espaço para Ascherit  e com um olhar de preocupação que seus dons de clérigo conseguia fazer ele demostra perguntou apontando para barriga da criança “Quando você se machucou? Já está completamente sarado?” Perguntou enquanto ia na direção da mesma que o interceptou antes de qualquer ação, “Não é nada demais, agora me diga... Quem é você?”, uma voz segura de si dizia tais palavras enquanto não afrouxava nem um pouco sua flecha do arco.  “Como disse... Estou procurando minha amiga, sou um clérigo companheiro dela, partimos juntos em uma aventura e ela se perdeu...” Disse isso enquanto levantava as mãos em um sinal de rendimento. 

Depois de uma longa analise tentando encontra quaisquer arma ou qualquer coisas suspeitas, a criança abaixou sua flecha e suspirou aliviada, largou o arco e pôs a mão na mancha de sangue que antes tinha sido perguntado por James, um pequeno grunhido de dor saiu de sua boca sem percebe, James que agora deixou de ser ameaça foi na direção dela já conjurando um feitiço simples de cura e mesmo com ela negando conseguiu finalizar o feitiço e fechar o ferimento que parecia ter sido feito por uma flecha, assim como toda a dor que a criança sentia. “Eu falei, sou um clérigo, não pretendo assustar ou fazer o mal”, Ascherit olhou para ele aliviada e sentou-se no chão, um segundo suspirou saiu de sua boca agora sim aliviada por completo, esticou sua mão na direção do elfo “Prazer, me chamo Ascherit, tenho 13 anos e estou treinando pra ser um dia uma grande guerreira”, James sorriu não só por saber que ela de fato era a Ascherit, mas por ela também ter se tornado uma grande guerreira “Prazer, me chamo James como já disse também sou um clérigo e sim, sou um elfo já que você não tira os olhos das minhas orelhas”. 

Depois de uma conversa sobre como ambos aprenderam seus dons, James passou horas explicando tudo o que seu amado Deus fez por ele, talvez com a intenção de manipular a mente da Ascherit para que a mesma se convertesse ao seu Deus assim que acordasse, Ascherit por sua vez falou bastante do seu mundo, da sua vila e de como estava indo seu treinamento, nada que James já tivesse ouvindo por alto na mesma nos dias de viagem. James sabia que estando com Ascherit em sua versão criança, poderia fazer que a mesma o levasse para sua versão adulta sem perceber, já tinha feito isso várias vezes e com ela não seria o mesmo. Ambos concordaram em andar juntos até um ponto de despedida, que para Ascherit seria até sua vila, mas para James seria até o quanto longe conseguisse ir. 

A estrada que tinha sido deixada de lado, agora estava sendo a prioridade de James e sua nova pequena companheira, que mesmo com seu ar de guerreira ainda era bem inocente e sociável. Uma nova pequena aventura estava começando, uma pequena e que dever ser rápida aventura, já que James tem até o amanhecer para saber o motivo da tristeza intensa e corrente de sua amiga, uma batalha contra o tempo está começando a surgi. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Sim meus amigos, essa história ainda não acabou, só decidir publicar ela mensalmente porque é mais fácil e pratico pra todos nós certo? Certo. Uma ótima noite, tarde ou manhã pra quem está lendo e até mais. 

Então isso é tudo pessoal.

Obrigado por estar no meu blog.
E pra você que está lendo esse post, sinta-se abraçado pelo Cachecol :D
Capítulo Nove - Mundo Escuro Capítulo Nove - Mundo Escuro Reviewed by Edson N. B. Junior on 00:27 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.