BNA e a Sociedade Toxica



Terminei recentemente o anime BNA, vou confessar pra vocês que depois que terminei Beastars eu estava em uma animação bem diferente para qualquer anime que tivesse estilo meio humanoide, e eu falo assim porque dizer "furry" é muito estranho pra mim, mesmo que aos poucos meio que alguns animes com esse estilo seguem bem a ideia de um furry. 

Bem, assisti BNA e minhas expectativas foram quase alcanças por completo, tem vários pontos incríveis nesse anime, bem técnicos mesmo como a trilha sonora, a iluminação e as cores bem vivas, pelo que parece o diretor adora um roxo e lilas, no entanto como nem tudo são flores, há também muita coisa estranha nesse anime, alguns furos de roteiro, algumas coisas que não dá pra aceitar, mas eu vou me centrar mais no rush, já que esse anime foi rushado, eu não li o mangá mas vi muita gente comentando que cortaram algumas coisas e aceleraram situações para encaixar na história que o anime trouxe, espero bem que na segunda temporada, pois é obvio que esse anime vai ter, eles consertem essa linha de produção deles.

O texto de hoje não vai focar nesse tipo de assunto, e por isso que eu já iniciei ele ali em cima, e já conclui para eu não ter que voltar a falar dele aqui, na verdade... Eu vou ainda sim fala do estúdio Trigger e dos seus animes, é um estúdio relativamente novo, faz umas produções ótimas, só que tem esse dedo no botão de velocidade que eu não entendo. 

A ideia que eu estou trazendo hoje, é sobre como eu entendi entre linhas como o anime quer nos fazer aceitar que ser diferente é estranho. Eu digo isso pois o anime passa boa parte dele aos olhos da Michiru, todo o mundo que conhecemos é graças a ela e as tretas que surgem depois quase todas ela está envolvida, então é bem óbvio que a história é contada por ela, e a situação que ela está no momento é o gatilho pra entender o motivo de o desejo de ser diferente causa tanta repulsa nela, e como isso é tão normal e mesmo julgando ela, no fim pensaríamos como ela.  

O enrendo do anime pra quem não assistiu ou não lembrá, é contando a história da personagem Michiru Kagemori, uma colegial que da noite pro dia acaba se transformando em um homem fera, e no primeiro episódio temos ela fugindo da cidade que ela vivia e indo para Anima City, uma cidade para homens feras, onde ela agora pode viver sua nova vida como animal. 

E ai que começamos a entender a ideia do anime e o porque da sociedade ser tão tóxica. Primeiro que há uma cidade feita para os homens feras, onde só pode entrar quem é um animal, humanos são completamente proibidos e a ideia da cidade é que essas pessoas podem viver em paz sem ter medo de serem atacadas, pois no resto do Japão, a galera é caçada ou simplesmente sofre aquele bullying maroto. E a Michiru acaba se transformando em uma tanuki, que é meio que um guaxinim? Talvez?. E os flash back que aparece dela ainda humana é raro ver ela e amiga dela falando sobre esses homem fera, ou ela sequer pensando sobre eles, como se ela fosse ensinada desde criança a não pensar ou não se importa com a presença deles. 

Por isso talvez que quando ela se transforma em um, seu mundo vira da noite pro dia, eu confesso que ficaria maluco também, mas esse espírito de negação que ela tem é no mínimo exagerado, como se todo o mundo dela tivesse sido destruído pois ela agora não é mais humana, eu entenderia se fosse por medo de ser caçada pela galera criminosa ou ser agredida, mas não, é só porque ela não queria mesmo, sim você pode achar que ela tem esse direito, e ela tem, mas venhamos e convenhamos que foi exagerado demais essa reação dela. 

Ai ela foi para Anima City, uma cidade feliz, e ela vai ter uma vida feliz? Obviamente que não, nunca nada é belo demais nos animes, sempre tem que ter o caos. E o caos nesse anime é que dentro dessa cidade também tem preconceito, você ver que alguns animais ali são tão babacas que faz parecer que os humanos são os "mocinhos" nessa história. 

O plot final do anime é que temos um homem fera de sangue puro que quer exterminar todos os outros homens feras pois pra ele, só a existência desses pobres animais é algo repulsivo. O cara se associa a humanos que possuem o mesmo tipo de desejo, algo inteligente, pois algum sábio falou uma vez que uma ideia só não é o suficiente pra matar alguém, mas essa ideia na cabeça de muitos não é algo bom. 

Eu não vou dizer aqui o final dessa primeira temporada, muito menos as reviravoltas que tem nela, eu quero mais é que vocês assistam o anime com esse olhar crítico para a sociedade que o anime nos apresentar. Uma sociedade bem opressora de ambos os lados da moeda, uma galera não muito amigável. De um lado humanos que tem essa repulsa pelos homens feras e quer a morte ou lucrar com a vida deles, e do outro lado os homens feras que em vez de protegerem os seus, se vendem para o ganho próprio. 

Não serei também estúpido de dizer que não há aqueles que são pessoas boas, pois o anime está repleto de gente legal, o casal que abre as portas para Michiru viver, o Shiru Ogami que talvez venha ser o personagem mais patriota desse anime, entre muitos outros. Só que a galera safada meio que é o dobro e isso é algo que querendo ou não tem que ser percebido. 

Assistam o anime, pois em toda sua estrutura ele é muito bom, promete algo e entrega bem o que é prometido, só que também é só isso mesmo, não vai muito longe não, defeitos bobos que podem ser corrigidos na segunda temporada. 

Abraços do Yavo :D
BNA e a Sociedade Toxica BNA e a Sociedade Toxica Reviewed by Edson N B Junior / Yavo on 12:25 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.