Comentários Finais - SK8 the Infinity


Estamos quase terminando nossos animes de Janeiro, e pisando bem devagar nos animes de Abril, e pra finalizar mais um anime estamos ai com SK, esse anime de skate do balaco baco, lago bom de tudo isso é que depois de SK, temos só mais um anime pra finalizar a temporada de Janeiro, ai entramos com tudo nesse mês, além de primeiras impressões, trazer os post que vão surgindo de acordo com as obras


SK8 the Infinity:


Reki, um skatista e estudante do segundo ano do ensino médio, é viciado em ‘S’, uma perigosa corrida de skate downhill altamente secreta, que acontece em uma mina abandonada. Os skatistas são especialmente selvagens nos ‘beefs’ ou batalhas acaloradas que eclodem nas corridas. Reki leva Langa, um estudante transferido que retorna ao Japão após estudar no exterior, para a mina onde as corridas são realizadas. Langa, que não tem experiência no skate, é puxado para o mundo do ‘S


Questões técnicas:


Uma das melhores aberturas da temporada de Janeiro, gostei também da animação que pra variar tem que ser boa em animes de esportes já que possuem muito movimento, personagens bem carismáticos, um vilão bem clichê, nada que um anime tradicional.


O que achei: 


Eu confesso que esperava muito mais, claro que para a proposta do anime ele até que entregou algo agradável, mas muita coisa ali no anime foi jogada de qualquer maneira, alguns desenvolvimentos fracos demais e histórias mal contadas. Talvez o maior ponto do anime é que ele, pelo menos, usou e abusou de todos os personagens, todos tiveram seu minuto de tela especial e a forma como foi contada também me agradou muito, claro o objetivo do Adam é de longe um dos mais fracos que já vi para um “vilão”. 


Zona de spoiler: 


Mesmo querendo criticar muito, eu acho que um dos pontos mais altos dessa obra foi a forma como ele entregou e muito bem entregado o drama, gostei dessa ideia de “eu achava que era bom, mas chegou alguém melhor” ou “ele é meu amigo, mas invejo ele”, gosto de quando o anime encaixa essas situações, Reki e Langa é um exemplo claro disso, teoricamente Reki ensinou Langa é andar de skate e o cara evoluiu de uma maneira que faz o Reki parecer um iniciante, o que deixa o cara completamente desesperado, quase beirando uma depressão de tão chateado que fica, pra um skatista apaixonado, desisti de andar é algo tenso né. 


Minha nota para o MAL:


Mesmo então com essa pegada do drama que gostei e de vários momentos de comédia, minha nota ainda é um 4 para esse anime, tinha faca e o queijo na mão e simplesmente estragou tudo com muita cena ali que poderia ser cortada. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.